População

O Algarve é um dos destinos de férias mais seguros do mundo

Em comparação com muitos outros países, a população nativa em Portugal é bastante homogênea. Desde o final do período mouro no Algarve em 1249 todo o país compartilhou a religião católica romana comum e uma língua comum, o Português. O grande passado do Império Português é a base mais importante da identidade Portuguesa.

É por isso que Portugal, até agora, tem sido poupado aos grandes conflitos étnicos e religiosos dos tempos modernos. Isto é, apesar da significativa imigração das ex-colónias após o fim do regime colonial, partilhando essas mesmas pessoas um passado cultural semelhante (língua e religião).


Residentes do Algarve

Gostaríamos de caracterizar alguns residentes típicos que representam a vida diária do Algarve

Ano após ano turistas de todas as partes do mundo vêm para o Algarve passar férias ou um fim de semana longo. O movimentado cenário turístico às vezes obscurece a realidade das pessoas que vivem e trabalham na área há gerações.


Crescimento da população 2001 - 2011

Durante os últimos 10 anos (2001-2011) a população do Algarve cresceu 14%, principalmente nos municípios do litoral

Crescimento da população por concelho

 

Cidade 2001 2011 Cidade 2001 2011
Albufeira 31 543 40 828 Alcoutim   3 770   2 917
Aljezur   5 322 5 884 Castro Marim   6 593   6 747
Faro 58 051 64 560 Lagoa 20 651 22 975
Lagos 25 398 31 048 Loulé 59 160 70 163
Monchique   6 974   6 045 Olhão 40 808 45 396
Portimão 44 818 55 614 São Brás 10 032 10 662
Silves 33 830 37 126 Tavira 24 997  26 167
Vila Real d. S.A. 17 956 19 156 Vila do Bispo   5 349   5 258


Desenvolvimento histórico

Muitas tribos deixaram as suas pegadas no Algarve no curso da história

A presença da humanidade no Algarve é conhecida desde que o homo erectus chegou através do Estreito de Gibraltar. Os achados mais conhecidos que datam da Nova Idade da Pedra (Era Neolítica) são os menires perto da Raposeira e Vila do Bispo e os Monumentos Megalíticos de Alcalar perto da Mexilhoeira Grande.

No início do primeiro milénio A.C. tribos celtas invadiram a Península Ibérica vindas de norte. Ao mesmo tempo as primeiras relações comerciais com outras nações Mediterrâneas surgiram. Os Fenícios construíram vários portos ao longo da costa Algarvia e por volta de 550 A.C. Portimão foi fundado pelos Cartagineses. Durante os séculos seguintes o sul da Península Ibérica foi colonizado pelos Gregos e Cartagineses até os Romanos ocuparem a região durante a segunda Guerra Púnica. Tornou-se parte do Império Romano com província da Hispania ulterior mais tarde conhecida como Lusitania.

Durante as invasões bárbaras na Europa várias tribos Alemãs invadiram a Península Ibérica entre eles os Suevos e os Visigodos. Em 711 tribos Berberes atravessaram o Estreito de Gibraltar e conquistaram quase toda a península até 719. Durante o período Mouro de 500 anos o Algarve experimentou um grande auge económico e cultural.

O governo Mouro acabou em 1249, quando o Algarve foi reconquistado por uma aliança de tropas Cristãs. Os Mouros e Judeus, que não foram expulsos do país, foram forçados a converter-se ao Catolicismo Romano.


Lingua Portuguesa

Uma lingua global

O Português é uma lingua global falada por mais de 215 milhões de pessoas. É a única língua oficial de Portugal, Brasil, Moçambique, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe.

O Português é uma lingua latina e pertence á família das línguas Ibero-Românicas junto com o Espanhol, Catalão e outros idiomas falados na Península Ibérica. Evoluiu do vulgar Latim falado durante o tempo do Império Romano. Os primeiros documentos na língua Portuguesa foram registados no Séc. 11 e a literatura Portuguesa existe desde o Séc. 15.


Religião

De acordo com os Censos de 2011, uma larga maioria da população Portuguesa, 81% é católica romana. Muitos feriados, festas e tradições Portuguesas têm uma origem ou conotações Cristãs.

Quando o Cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano, a província romana Lusitania também se tornou Cristã. Nesta altura uma larga minoria Judaica já existia na Península Ibérica á séculos. A situação não mudou durante as invasões bárbaras pois as tribos invasoras alemãs já se tinham convertido ao Cristianismo.

Quando os Mouros conquistaram a maior parte de Espanha e Portugal que conhecemos hoje, a parte sul da Península Ibérica estava sobre governo Islâmico á vários séculos. Após a reconquista pelas tropas Cristãs os Mouros tinham que se converter ou eram forçados a deixar o país. Em 1492, a minoria Judaica (sefarditas) foram expulsos de Espanha e algumas décadas mais tarde também pela Inquisição em Portugal.


As nossas Recomendações
Publicidade